Lugar de Recompensas

Lugar de Recompensas

O Tribunal de Cristo é um lugar de recompensas. Porém, não somente para os pastores, pregadores, mestres da Palavra, cantores e os que ministram na igreja. É certo que aqueles que assim foram vocacionados e desenvolvem fielmente os seus chamados, receberão seus galardões.

Entretanto, segundo o talento e a responsabilidade que o Senhor repartiu com cada um, as contas serão acertadas. Seja o indivíduo ministro da Palavra de Deus ou o que serve nos bastidores no dia a dia da igreja, como também o profissional liberal ou empresário, professor ou aluno, patrão ou empregado, líder ou liderado, homem e mulher, pai e mãe, filhos e família, há um potencial para ser maximizado, talentos e aptidões para serem negociados, recompensa para ser obtida. Diversas são as responsabilidades, mas o nosso trabalho não é vão no Senhor.

A expectativa de Deus é que negociemos as riquezas e atribuições que recebemos de suas mãos e as multipliquemos, de maneira tal que, em Cristo, ele receba a adoração na nossa existência aqui e na eternidade: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.” (1 Coríntios 10.31).

Um glorioso prêmio aguarda o apóstolo ou missionário, o pregador das Boas Novas e servo de Cristo, que foi fiel à sua vocação de propagar a nova vida em Cristo, enquanto confessava: “Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus.” (Atos 20.24).

Um galardão também aguarda o pastor tão dedicado ao seu chamado, que viveu a sua vida apascentando as ovelhas de Deus, como um fiel mordomo, “não por obrigação, mas espontaneamente, como Deus quer; não por ganância, mas de boa vontade.” (1 Pedro 5.2).

Promovido de igual modo será o empresário, que administrou como sendo do Senhor, o empreendimento confiado às suas mãos, entendendo que “para com ele não há acepção de pessoas” (Efésios 6.9 – ARA). E todos aqueles que exercem sua profissão, vocação, chamado e responsabilidade, servindo à humanidade e agradando o coração do Mestre, dentro e fora das paredes do templo, nas mais diversas esferas da sociedade, “não servindo… somente para agradar pessoas, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus.” (Efésios 6.6).

O marido, a esposa, os filhos, que viveram a vida comum do lar em amor, honrando uns aos outros, constituindo a família com o propósito do Criador, de ser a base da Igreja e da sociedade, e dos princípios e parceria para o desenvolvimento do Reino de Deus (1 Timóteo 3.4,5).

Extraído do livro “A VIDA NO SENTIDO DE CRISTO” | Manassés Guerra
Adquira o seu agora mesmo em nossa loja: www.manassesguerra.com/produto/a-vida-no-sentido-de-cristo-edicao-comemorativa/

Sem comentários

Postar uma resposta