Delegar com Participação Ativa (Mas não Centralizadora!)

Delegar com Participação Ativa (Mas não Centralizadora!)

Se você decide ser líder, você não é mais engenheiro ou médico, você passa a ser um desenvolvedor de pessoas”. Por isso, treinamento é sinônimo de investimento.” Tom Peters

Porém, de que adianta todo esse trabalho, se o líder da equipe continua insistindo em fazer o trabalho da equipe? De que adianta ser líder de uma equipe que nada se pode esperar dela, no que diz respeito a autonomia para realização de tarefas delegadas? O que dá errado quando você não delega e quando há concentração de poder?

O líder é a pessoa responsável pelos resultados da equipe, o que leva o líder naturalmente a reivindicar o controle. Porém, todos nós sabemos como as pessoas reagem a líderes presunçosos, autoritários, desconfiados, insensíveis e dominadores.

O modelo do líder berrando ordens de cima para baixo cai por terra, surge um novo modelo em que o líder é um parceiro e não um ditador cruel. E isso deve incluir a harmonia entre a ampla variedade de habilidades que compõe a equipe. Nesse ambiente de interação, até as pessoas com pouca experiência tem boa ideias para compartilhar e um potencial surpreendente para revelar.

“O trabalho do líder é, na falta de melhor palavra, contagiante” – disse certa vez um famoso presidente de uma organização multinacional. E ele acrescentou: “Seu trabalho como líder é combater a força da gravidade do negativismo. Isso não significa adoçar os desafios de sua equipe. Quer dizer exibir uma atitude energizante e corajosa quanto à sua capacidade de superar as dificuldades.”

Quanto maior a expectativa para o seu desempenho como líder, à medida que progride, maior a necessidade do desempenho da sua equipe. Ou seja, quando você é promovido à função de coordenar uma equipe precisa também aprender a liderar.

Porém, se por um lado alguns líderes não “largam o osso”, por outro, alguns outros líderes acham que delegar poder é deixar as pessoas se virarem sozinhas. Qual a verdade sobre isso? Quase todo mundo tem um desempenho melhor quando recebe mais orientação, instruções e suporte de alguém mais experiente.

Tenha senso de humor e não seja chato. Seja uma pessoa divertida e acessível. Um líder vibrante e entusiasmado acaba liderando pessoas vibrantes e entusiasmadas. Já o pessimista crônico e sempre mal-humorado acaba ficando com a tribo da infelicidade. Não ostente ares de “estrela” nem assuma um comportamento pomposo.

Extraído do livro “LÍDER PARA VOAR” | Manassés Guerra
Adquira o seu agora mesmo em nossa loja: www.manassesguerra.com/produto/lider-para-voar/

Sem comentários

Postar uma resposta