Sacrifícios e Resultados

Sacrifícios e Resultados

O comprometimento com a responsabilidade divina envolve renúncia e sacrifício. Qualquer indivíduo, família, comunidade ou nação que decida negociar os talentos confiados por Deus enfrentará ocasiões decisivas de comprometimento. Atuar sob uma motivação que corresponda ao impulso do Espírito, no coração, envolve passar no teste. Tem que haver um posicionamento de fé, que se sobreponha ao que parece vantajoso e lucrativo aos sentidos.

Para o jovem com futuro promissor, talvez o desafio seja abrir mão da gloriosa carreira profissional ou acadêmica na esfera do conforto familiar, para investir a si mesmo no chamado às nações, atuando com sua profissão e chamado em um ambiente muitas vezes hostil. Isso não desmerece o sonho profissional ou acadêmico. Na verdade, a formação acadêmica e o desenvolvimento brilhante de uma profissão pode contribuir e muito para a vocação divina.

O chamado ministerial compreende a pregação e o ensino da Palavra. Contudo, envolve empreendimentos que servirão tanto para auto-sustentação do vocacionado, como para promover e tornar eficiente a missão. Formação acadêmica universitária, especializações, treinamento bíblico ou missionário, podem ser o ponto de partida e o equipamento para o desempenho responsável dos talentos confiados por Deus.

Tenho visto muitas pessoas usarem o suposto chamado divino para justificarem a irresponsabilidade, preguiça e falta de preparo. É certo que Deus capacita os incapacitados. No entanto, é também sua vontade capacitar pessoas que disponham, além do dom e da vocação, habilidades desenvolvidas, para que ele alcance toda a sociedade.

O plano de redenção para a raça humana está sendo propagado das mais diversas maneiras, enquanto o amor e a sabedoria de Deus se destilam por intermédio da inteligência humana inspirada pelo Espírito Santo e a Palavra, e se transformam em ação salvadora. O apóstolo Pedro exorta:

“Uma vez que vocês chamam Pai aquele que julga imparcialmente
as obras de cada um, portem-se com temor durante a jornada
terrena de vocês.” (1 Pedro 1.17 – Ênfase do autor).

Esqueça a ideia religiosa que reduz o céu a um lugar onde apenas cantaremos hinos de adoração. No novo céu e nova terra haverá novas vocações e tarefas, a realização completa do proposito estabelecido desde o principio. A vida cristã envolve o aprendizado de uma nova cultura que nos equipa para o novo mundo de Deus.

Extraído do livro “A VIDA NO SENTIDO DE CRISTO” | Manassés Guerra
Adquira o seu agora mesmo em nossa loja: www.manassesguerra.com/produto/a-vida-no-sentido-de-cristo-edicao-comemorativa/

Sem comentários

Postar uma resposta