Talento e Unção

Talento e Unção

“O meu coração transborda  de belas palavras.
Ao rei consagro o que compus;
a minha língua é como a pena de um hábil escritor.”
(Salmos 45.1)

As habilidades e talentos dados ao homem, por si só, não o tornam hábil para ministrar a Deus. A vida no Espírito é que vivifica tais habilidades para realizarem a verdadeira vocação a partir do nosso espírito. Uma conexão é estabelecida entre o que é divino em nós, e o próprio Deus.

Cada filho de Deus tem o mesmo privilégio diante do Pai. Nenhuma pessoa, nascida de novo, pode empregar um dom ou habilidade, chamado ou vocação, como uma máscara ou subterfúgio para se qualificar ou o se justificar diante de Deus, quanto à verdadeira vocação para ser um adorador.

O músico, por mais perito que seja em sua habilidade, não tem privilégio maior no sentido de cantar uma música para Deus. Da mesma forma, nenhum compositor, por mais inspiradas que sejam suas canções, tem maior vantagem que qualquer outro filho de Deus, em fazer uma canção para o Pai. O que ele tem é uma responsabilidade maior para ser uma referência deste tipo de música!

O Pai não está procurando quem possa fazer uma grande obra para ele com a intenção de alcançar mérito diante dele e a atenção de outros. O Pai procura quem o adore em espírito e em verdade por meio da fé em Cristo, e na graça de Deus. Quando evidenciarmos esta sublime vocação então nossas habilidades e dons irão inspirar ações do próprio Deus, para a glória e louvor de Cristo.

“E vós possuís unção que vem do Santo e todos tendes conhecimento.
Quanto a vós outros, a unção que dele recebestes permanece em vós,
e não tendes necessidade de que alguém vos ensine;
mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas,
e é verdadeira, e não é falsa, permanecei nele, como também ela vos ensinou”.
1 João 2.20,27

A música é parte importantíssima na nossa adoração a Deus. Ela é capaz de envolver o nosso espírito, alma e corpo em um louvor pleno para o Criador. Em cada filho há a habilidade da adoração, compartilhada pelo Espírito Santo, que também inspirou Jesus. Há uma nova canção que pode ser cantada todos os dias para o Pai.

O que recai sobre o músico, cantor e compositor é a responsabilidade de ser um referencial, para isso ele deverá ser essencialmente um adorador e desenvolver a sensibilidade para perceber a música do coração de Deus, e despertar esta música no coração dos seu filhos. A unção de Cristo torna possível e eficaz este estilo de vida.

Extraído do livro “O DESVENDAR DA ADORAÇÃO” | Manassés Guerra
Adquira o seu agora mesmo em nossa loja: www.manassesguerra.com/produto/o-desvendar-da-adoracao-edicao-comemorativa/

Sem comentários

Postar uma resposta